segunda-feira, 10 de março de 2008

Eleições no Zimbabwe

"O governo zimbabweano, muitas vezes acusado de fraude eleitoral, declarou esta semana que o escrutínio crucial previsto para finais de Março corrente será livre e justo.


Esta promessa foi feita pelo ministro zimbabweano dos Negócios Estrangeiros, Simbarashe Mumbengegwi, aos diplomatas acreditados no Zimbabwe. Nessa ocasião, o chefe da diplomacia zimbabwena afirmou que um intenso trabalho preparatório, que envolveu a oposição, foi feito para assegurar a realização das eleições livres e justas a 29 de Março corrente para eleger um novo Presidente e novos representantes das Câmaras Baixa e Alta do Parlamento. O chefe da diplomacia zimbabweana afirmou que observadores estrangeiros foram convidados para controlar o desenrolamento do escrutínio, mas que os países críticos ao governo foram excluídos. Trata-se, entre outros, da Grã Bretanha e dos Estados Unidos que lançaram uma campanha contra o governo do Presidente Robert Mugabe, acusando-o de violações dos direitos humanos e de fraudes eleitorais", acusões rejeitadas pelo governo zimbabweano.

No passado, os partidos da oposição do Zimbabwe acusaram o governo de ter procedido a uma fraude maciça dos votos, acusações que as autoridades continuam a desmentir. Desta vez, a oposição ameaçou sair às ruas se casos de fraude forem assinalados. "

com http://www.angolapress-angop.ao/africa.asp

Até podia ser verdade...