segunda-feira, 3 de março de 2008

Sobre o reconhecimento da Independencia do Kosovo...

Não é por solidariedade com o regime de Madrid, nem por simpatia com a causa que Portugal ainda não reconheceu o Kosovo. Simplesmente não há pressa. Concordo com o que diz o Otto, mas estamos (a meu ver, bem) a ser um pouco neutrais (pelo menos para já) , nesta questão.
A proclamação unilateral de Independencia do Kosovo gera um sério precedente potencialmente destabilizador do vizinho continental espanhol e por isso, é mais pela estabilidade da Península que aguardamos, reflectimos e talvez mais tarde reconheçamos a necessidade de enfim... podermos vir a dizer qualquer coisa sobre o assunto.
Primeiro é preciso ver se o Kosovo funciona como Estado de Direito...

3 comentários:

Otto disse...

"Regime de Madrid"? Eh lá, até parece que falamos do Franquismo!
A meu ver o facto está consumado, e não é reconhecermos ou não que vai desestabilizar mais ou menos a nossa vizinhança, parece-me.
Além disso, em 1999 andámos a bombardear a Sérvia, temos tropas de ocupação no terreno... neutrais aqui, é que não somos. Talvez não devêssemos ter tomado a atitude há tempos (mas havia Timor a necessidade de granjear apoios e credibilidade, hélas) mas agora o caldo está entornado, e assobiar para o lado é que não.
O meu post vai, aliás, no sentido de tentar perceber a demora, não de defender "dar uma no cravo e outra na ferradura".

Niccolo disse...

Estava a ver que ninguém apanhava a do "Regime de Madrid" (heheh, provocaçõezinhas).

Não estou a defender "uma no cravo e uma na ferradura"... só quero preservar a segurança dos nossos soldados e aguardar pelo que o futuro reserva ao Kosovo. Ninguém vai dizer que não reconhece a independencia, apenas não o vamos anunciar de forma precipitada, porque não precisamos de o fazer...

Henrique disse...

Se estivermos à espera que o Kosovo seja um Estado de Direito então não haverá reconhecimento!