quinta-feira, 11 de outubro de 2007

A importância de ser Unido

O presidente Sarkozy, de visita à Rússia, disse que "era importante a União Europeia mostrar-se unida" na questão do Kosovo. Concordo, e acrescento que, ultimamente, tem havido uma série de acontecimentos internacionais que exigem da UE uma resposta concertada, e tanto melhor assim por dois motivos:

1. Uma resposta concertada da UE a algo de genuinamente importante seria uma grande vitória interna, pela raridade da ocasião;
2. Uma resposta concertada da UE às questões específicas que abaixo indicarei teria até mesmo de ser construtiva para o encontrar de uma solução.

Por estas duas razões, é importante ser Unido. Agora avanço eu com as minhas propostas de actos fundadores da União Europeia Unida (UEU):

a) Seria importante a UEU dizer a uma só voz aos kosovares que não devem avançar para uma declaração unilateral de independência depois de 10 de Dezembro. Tentar infundir alguma moderação aos vencedores da guerra (o UÇK, boa gente) e mitigar a burrice de fixar o prazo de 10 de Dezembro seria algo de bom que a UEU poderia fazer por aquela parte do nosso continente. As probabilidades são escassas, no entanto, e a UE já queimou boa parte da sua credibilidade em toda a questão dos Balcãs há muito tempo. No entanto, nunca é tarde para emendar a mão;

b) Seria importante a UEU dizer a uma só voz a Turquia que não comprometa a situação de segurança do Iraque nem descredibilize o governo em Bagdad intervindo no Curdistão. Se a Turquia quer melhorar a sua imagem na UE e ao mesmo tempo contribuir para uma acalmia na situação na sua fronteira Sudeste, pode procurar apoio nos seus aliados naturais: o governo central iraquiano e nos EUA.

O que me parece melhor ainda nesta situação b) é que a UE, se adoptar este caminho (pelo menos o Sr. Solana prega algo de parecido) está também a contribuir para que a Turquia não perca fiabilidade enquanto membro da NATO e a apróximá-la do Ocidente.

É uma consequência que não é imediata, é verdade, e está sujeita a variações; mas acredito sinceramente que, se há objectivos próximos que convêm à Europa e à UE são a conservação da NATO, por um lado, e a conservação da Turquia como membro da NATO, por outro. Não gostaria de ver a Turquia passar-se para o outro lado (qualquer que seja esse lado), e esse pode bem ser um bom investimento da União Europeia Unida.

1 comentário:

filomeno2006 disse...

Sensatisimas declaraciones del Major- General Luso Raúl Cunha sobre Kósovo......